Frases

"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens".
Fernando Pessoa

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Acordes dissipam o pensamento na ressaca





















Para curar o porre com a ressaca do mar e o foguetório para os políticos na Armação, só mesmo Oscar Castro Neves. Com sua inigualável pegada de bossa nova, o mestre, maestro e produtor musical é incapaz de criar sequer um segundo de tédio em Live At Tokyo Blue Note, álbum lançado em agosto de 2009. Seu feliz e limpo violão é a linha guia para as percussões de Airto Moreira e Marco Bosco, para o piano de Paulo Calasans, para a sempre afinada voz de Leila Pinheiro e para o baixo elétrico de Marcelo Mariano.
Gravado ao vivo, o álbum traz músicas de Tom Jobim, Roberto Menescal, Baden Powell e Edu Lobo, entre outros. São 14 canções entre elas, Ponteio, Ela é Carioca, Canto de Osanha e My Sweetie Pie Sweet. Nesta última, está toda a verve brasileiro/jazzistica de Oscar que é, indiscutivelmente, única.
Em Manhã de Carnaval, a voz de Leila, acompanhada de uma perfeita percussão, me levou a compreender melhor o motivo que levou Oscar a ficar nos Estados Unidos por todos esses anos. Sim, porque ele foi naquela leva de músicos da década de 1960, ao lado de Tom, João Gilberto, João Donato, Luis Henrique Rosa, Raul de Souza, Walter Wanderley, Sérgio Mendes e tantos outros gênios.
O violonista, que antes tocou cavaquinho, fixou residência em Los Angeles onde colocou a marca de seu alegre violão em inúmeras produções musicais de nomes sagrados, como Elis Regina, Flora Purim, Yo-Yo Ma, Stevie Wonder, Toots Thielemans, Ella Fitzgerald, João Gilberto, Eliana Elias e, mais recentemente, nos discos da talentosa japonesa Lisa Ono.
Outra ótima surpresa do CD registrado na meca da bossa, ou seja, no Japão, é a linda Chora Tua Tristeza, sua primeira canção gravada quando tinha apenas 16 anos. De família de músicos e um dos trigêmeos, Oscar tem na sua trajetória profissional uma concepção harmônica requintada. É capaz de gerar uma alegria rítmica contagiante e no disco ela pode ser absorvida em Águas de Março. Nada melhor do que esta canção para jogar pra longe o pesadelo da ressaca das águas de maio. Pra esse eu jogo uma caixa de foguetes!!!

4 comentários:

marcoliva disse...

A foto da ressaca é sensacional, que ângulo! Estavas no mar? rsss
" se eu fosse um peixinho...nas ondas de Castro queria nadar", tá certo que nado...imenso mar, nossa musica e musicalidade.
Bom encontrar tuas palavras, para por vez e outra, trocar, olhar outros mundos, outros lados, outros sons...será que o blog permite sons?...Seria o complemento perfeito...fiquei ávido por ouvi-lo. beijos

Marco disse...

Oi, eu sou Marco Bosco o co- produtor desse disco do Oscarzinho, estou aqui no brasil, entre em contato
www.myspace.com/brazilianmarcobosco

Glabazili disse...

pois é...esta mulher que cosegue nos distrair das desgraças ambientais, provocadas por nós, humanos inconsequentes, me fez ir até o wikipédia pra saber quem é esse sujeito de quem nos fala e sugere...em época de copa do mundo, faço a comparação de que os melhores são arrebatados pelo outro mundo, pois eles sabem o que é bom..graças ao Criador, temos uma Duda Hamilton em nossas vidas resgatando e apresentando os que podereiam ficar no anonimato para tantos de nós...beijos e bençãos Duditis e que te mantenhas sempre assim pra nosso prazer e alento.

Notícias do Sul da Ilha disse...

rá ! eu também encontrei......fui na dica do Pablo, e já está na minha máquina. Neste findi ouvirei, depois te digo o que achei. ;-)